terça-feira, 22 de junho de 2010

Vida Eterna - Capitulo 2


2º Capítulo

Saímos da minha casa e deparei-me com um sol brilhante que reluzia nas folhas silvestres á frente da casa.
Estes tipo de dias são muito raros em Forks, e hoje, no dia do meu aniversário, estava o mais lindo dia que se podia ter num dia como este. Eu adorava o Sol, adorava tudo o que me transmitisse calor e sensações quentes e reconfortantes. A terra da floresta estava completamente seca, eu adora passear por ali. Naquele lugar, sentia-me livre. Podia correr de uma forte não muito humana, sem me preocupar se alguém me via ou não, podia caçar os melhores animais que quisesse …. Adorava passar horas sozinha naquele sítio e um desejo enorme de ter um segundo para mim despertou-se naquele preciso momento.
- Tia, preciso de um momento sós! Sabes? Aqueles que eu amo!
- Querida, e o teu vestido? Não quero que o sujes e andes por ai a saltitar, e os convidados? Eles já lá devem estar todos á tua espera querida. Renesmee, não! Tu…
- PARA TIA! – gritei-lhe interrompendo-a – Primeiro eu não irei sujar o vestido, o tempo está óptimo e preciso mesmo deste momento, segundo, eu não demoro mais do que dez minutos, prometo! Vai andando tia, eu já lá vou ter.
A minha tia deu um ar de quem não concordava muito, mas lá desistiu.
- Pronto, ok. Mas não mais do que dez minutos minha linda!
Fiquei a maravilhá-la a saltar o rio que dividia as casas. Numa margem ficava a grande casa dos Cullen toda em vidro, realmente era muito bonita.
Mas na margem onde eu estava, encontrava-se o ninho mais que perfeito que eu e os meus pais tínhamos.
Eu adora a minha pequena casa, muito bonita e muito ao gosto da minha mãe.
Comecei a andar para dentro da floresta, até que cheguei ao sítio que a minha família chamava de: “Cantinho da Nessie”.
Neste lugar, no meio da floresta, encontrava-se um pequeno parque infantil privado, que eu achava que era um lugar mágico, que o meu pai e o tio Em construíram para mim, seguindo as ordens da minha tia Alice, claro.
Aqui tenho um escorrega, cordas e outros divertimentos onde eu adorava brincar quando era mais pequena.
Há muito tempo que não vinha aqui, neste momento entretinha-me com outras actividades.
Olhei em redor e deparei-me com o meu divertimento preferido na altura, os baloiços. Sentei-me num, e comecei a baloiçar-me. (Posso ter corpo e mente de uma rapariga de 17 anos, mas andar de baloiço trazia-me maravilhosas recordações e eu amava)
Eu e a minha família ainda estamos em Forks.
Então temos que permanecer dentro de casa para as pessoas não verem que a minha família não envelhece.
Era nas tardes destes dias secantes, que vinha para aqui com o Jake brincar a tarde toda.
Agora passo as tardes a tocar piano, a ouvir música, ver tv e a estudar com o avô Carlisle, a ouvir música, a tocar piano, a ler, etc.
Eu adorava as aulas que o meu avô me dava.
Ele era super compreensivo comigo.
O avô ainda trabalhava no hospital, pois com uma maquilhagem perfeita que a Alice conseguia fazer ele já parecia que tinha uns 40 anos (como se fosse possível, mas aos olhos dos humanos, uma simples diferença era tudo o que era preciso).
O resto da minha família também ficava por aqui por casa, ou de vez em quando a Alice, o Jasper, a Rose e o Emmet iam viajar, mas voltavam ao fim de pouco tempo, eles não conseguiam ficar longe. (xD)
A Alice adora fazer compras, então neste ponto ia-mos a bem longe.
Já conheço um pouco do mundo: Paris, Londres, Nova Iorque, Madrid, etc, o único inconveniente é que tínhamos que ir sempre no Inverno! =(
Pode-se dizer que já viajei muito!
Em todas as viagens, um sentimento de saudades, me percorria sempre, pois estava longe dos meus amigos Lobos que tanto gostava de estar.
Principalmente o Jacob, ele é o meu melhor amigo, é um irmão que me protege sempre de tudo e de todos.
O Jacob sempre esteve comigo, desde que eu nasci que ele está com a minha família, não me lembro de um único momento que ele não tenha estado presente.
Ele é o meu confidente, o meu porto seguro, o meu anjo da guarda, mas só isso. Bolas…como eu gostava que fosse diferente!
Quando estou junto dele, tudo faz sentido: fico feliz quando estou triste, fico contente só de o ver, sinto que a minha vida é ali, sinto que ele faz parte de mim, sinto que vou morrer sempre que ele diz: “Tenho que ir princesa!”, adoro quando ele me elogia, pois faz-me sentir a rapariga mais bonita á face da terra, e olha só aquele corpo musculado e quente!
Nunca vi o Jake desta maneira, mas á uns meses para cá, comecei a apreciar e a analisar o corpo e as frmas dele.
Eu convivo com outros rapazes, principalmente com o Seth, que é também um grande amigo. E com o Seth, não sinto nem metade do que sinto com o Jake.
Eu quero o Jake para mim, só para mim.
Mas sempre que tento um pouco mais ele afasta-se logo.
Nunca deixa um abraço prolongar-se, ele simplesmente nunca me mostrou que queria ser mais que um amigo para mim.
Então, porque é que passa a vida aqui?
Porque é que ele, desde que eu nasci está sempre disposto a ajudar-me?
Ele passa todas as tardes aqui comigo a ver as minhas séries preferidas completamente chatas, a ouvir as lições do meu avô, que para ele devem ser uma autentica seca, pois ele já terminou o secundário á alguns anos!
Mas é que nem o Seth passa tanto tempo aqui.
Então porquê tudo isto? Eu adoro que ele esteja aqui, como é obvio, mas não poder abraçar-lhe como queria, não poder dizer-lhe o que queria, está a dar comigo em doida.
Eu posso não ter experiência com rapazes, mas sete anos a conviver com o Jake, é tempo suficiente para saber o que sinto. (Era? Eu acho que sim!)
E, então, um pensamento surgiu na minha cabeça.
É Hoje!
Hoje fazia sete anos, mas estava com corpo de uma rapariga de 17 anos, por isso já tenha idade suficiente para saber o que quero! (Tenho?)
É hoje que ia-me declarar!
Não passa de hoje!
Tenho que acabar com este sentimento que me está a matar por dentro.
Uma coisa eu tenho a certeza: eu quero o Jacob, só para mim e não posso desistir!
Eu via a forma como a minha mãe olhava o meu pai, era como se fosse a luz, ali entre os dois estava a vida, a Vida Eterna, e eu também quero a minha Vida Eterna, pois era assim que eu olhava o Jacob, eu não conseguia ver a minha vida sem o Jacob.
Simplesmente não podia acreditar num futuro sem ele!
Mas uma onda de desespero surgiu em mim.
E se ele não olhar para mim da mesma maneira?
E se o Jacob apenas gosta me mim como uma irmã e gosta de estar comigo para proteger-me?
Proteger-me, como um irmão protege a sua irmã mais nova!
Não posso acreditar!
Tenho que ter confiança!
“Renesmee, levanta-te e impõe-te!”pensei para mim.
“Tens que tentar!” – novamente para mim.
“Agora, levanta-te, recompõe-te! Esquece todos os últimos pensamentos, se não o senhor Edward, não vai gostar! Ai ai, a bronca que levarias!”
Comecei a caminhar lentamente até ao rio.
Foi nesse preciso momento que vi um vulto e assustei-me!
- Ai tia! Assustaste-me!
- Renesmee Cullen, disseste-me 10 minutos, e já se passaram 20. Preocupaste-nos a todos!
- Desculpa tia Alice. Não queria preocupar ninguém. Já sabes como sou. Quando começo a vaguear nos meus pensamentos, não vejo o tempo passar.
- Pronto ok, desta vez passa. Mas só desta vez, pois é o teu aniversário. Estão todos ansiosos pela aniversariante. Vá…vamos lá!
- Obrigada tia. – agradeci-lhe.
Ufa! Desta vez estou safa!
Salta-mos rapidamente o pequeno rio que dividia as duas margens e em poucos segundos já estávamos á porta de casa.
O meu pai abriu-nos a porta e abraçou-me.
- Parabéns filha! Mas!?!? – o meu pai olhou para mim de alto a baixo.
- Menos Edward! – Pediu a minha tia Alice.
- Estás linda filha.
- Obra da Alice pai.
- Pois, eu sei. – olhou para a Alice ferozmente, mas esta começou a rir e a dizer que eu estava perfeita. Só mesmo a Alice para provocar o meu pai, até parece que ela não o conhece!
Entrei na enorme sala da casa dos Cullen, e todos os homens estavam de fato. Mas eles iam para alguma casamento?
Que exagerado!
Mas já estávamos habituados, todos os anos era o mesmo.
O que se há-de fazer? (Bufei)
A minha mãe abraçou-me logo. Ela estava com um vestido curto, azul vivo, tipo cai-cai, com bijutaria e sandálias em tons de dourado e estava com o cabelo solto e ondulado. Estava muito bonito e elegante.
A tia Rose, estava com um vestido justo, que tinha um cinto preto logo abaixo do peito e na parte de cima do cinto era um xadrez em tons de azul e preto e a parte de baixa era toda em preto, complementava com bijutaria e sandálias azuis e cabelo loiro esticado.
A Esme estava super elegante com um vestido simples preto em cai-cai, que complementava com acessórios dourados e umas sandálias pretas, e estava com o cabelo também ondulado.
A tia Alice tinha subido para se arranjar, e como previsto em 5 minutos já estava de novo na sala e vestia um vestido roxo com decote, as laças entrelaçavam nas costas, ela complementou com bijutaria e sandálias roxas.
Estavam todas perfeitas.
Mas … faltava aqui alguém!!!
Foi então que o vi.
Encostado á parede, a olhar fixamente para mim.
Ele estava com um casaco de cabedal cinzento-escuro, t-shirt super justa preta, e calça casual escura.
Aquela t-shirt salientava-lhe todos os seus músculos!
“OMG, ele está lindo!” – pensei.
Entretanto ouvi um rugido forte vindo do meu pai e apercebi-me que algo tinha acontecido … ou vinha para acontecer.

Sem comentários: