domingo, 16 de janeiro de 2011

She Wolf, Capítulo 4


Capítulo 4 - Uma nova espécie

Visão Megan Cullen Black

Saí da escola, atendendo ao pedido do Jacob, e fui para a floresta. Quando entrei no carro tive um pressentimento que algo não estava bem.
Algo se passava e eu tinha medo do que podia ser! Quando cheguei á floresta conseguia definir dois cheiros: cheiro a vampiro e cheiro a lobisomem.
- O que se passa? – Perguntei.
- Megan, nós vamos precisar de ir aos fazer uma visita aos Volturi antes que eles venham aqui e nos matem, tu ficas aqui… - Respondeu Jacob.
Tentei protestar mas simplesmente ninguém me deixou ir para Volterra. Seria demasiado perigoso para mim e para Ryan.
Não conseguia deixar de pensar no Ruben. O que é que lhe vai acontecer? Será que ele vai sobreviver? Mesmo que não sobrevivesse, será que não me iria sentir mais vazia do que me sinto agora?
O meu pai já tinha partido com a alcateia. Eu sabia que alguma coisa se ia passar, eu tinha a certeza disse por isso mesmo decidi-me!
Fui até ao quarto – como sou uma loba a minha tia Alice não me consegue ver a partir para Volterra – quando cheguei ao quarto vi lá Ryan.
- O que vais fazer e aonde vais? – Perguntou Ryan.
- Ryan, é o pai! Tu não sabes o que lhe pode acontecer e depois o Ruben está lá no meio e eu não quero que lhes aconteça nada, vem comigo… - Supliquei.
Demorou um pouco até conseguir convencer Ryan que aquilo era o melhor a fazer mas, felizmente, consegui faze-lo.
Quando chegámos a Volterra senti um aperto no estômago, aquele aperto de medo e insegurança. Chegámos á famosa Torre do Relógio onde estava o esconderijo dos Volturi.
Eu e Ryan entrámos por aquele portão gigantesco. Sentia-me situado á porta do grande salão dos Volturi, eu e Ryan conseguíamos ouvir dali uma luta, a minha primeira reacção foi transformar-me mas eu não conseguia, simplesmente não conseguia transformar-me num lobo.
Abri a porta, com os braços, e comecei a correr, com Ryan atrás de mim, até dentro do Salão dos Volturi. Quando entrámos lá dentro todos pararam de lutar, Ryan colocou-se á minha frente em posição de ataque, estando ainda na forma humana.
- Quem são estes?! – Perguntou Aro, eu e Ryan fizemos uma longa pausa. – Quem são vocês?! – Voltou a perguntar Aro, mas agora a pergunta era dirigida a nós.
Puxei Ryan para trás de mim, ergui a cabeça e olhei directamente para Aro.
- Somos os filhos de Jacob. – Respondi.
Aro começou, simplesmente, a rir á gargalhada. Aro deu meia-volta. Talvez ele não conseguisse acreditar no que se estava a passar mas era bem verdade.
- Ela está a falar a sério? – Perguntou Aro a Jacob.
O meu pai abanou a cabeça em sinal que sim. Aro quase correu até mim, pegou na minha mão e começou a ouvir os meus pensamentos.
Acho que Aro conseguiu saber tudo sobre mim e até sobre Ryan. Quando eu pensei que era uma loba Aro apertou mais a minha mão, levantou-me e lançou-me contra um banco de pedra.
Aquilo fez-me arquear a colona de dor. Vi que Ruben se soltou e veio a correr para mim de forma a ajudar-me a levantar.
- Estás bem? – Perguntou-me.
- S-sim… - Murmurei. – Obrigada.
- Bem, nós trataremos de vocês mais tarde… acho que já resolvemos tudo com os lobos. Em relação aos irmãozinhos, esperem por nós. Agora, rua! – Gritou Aro.

Em Forks:

Quando chegámos a Forks o meu pai aplicou-me um castigo enorme. Tanto eu como Ryan. Mesmo assim eu tive pena de Ryan pois ele não fez nada de mal.
Depois de uma semana má passada na escola eu ainda me estava a sentir bastante mal. Tinha dores no meu corpo, quase não tinha fome, e também me sentia bastante fraca.
O meu pai andava a chamar estranho porque eu não me conseguia transformar… Algo em mim não estava bem. Estava com a alcateia na floresta quando comecei com dores na barriga.
- Sentes-te bem? – Perguntou o meu pai, Jacob.
- Mais ou menos. Mas continua a falar. – Respondi.
Dois minutos depois o meu corpo caiu no chão. Sentia, agora, dores em todo o meu corpo. O meu corpo estava a ficar quente, e a dor alastrava-se cada vez.
- Ahh! – Não consegui deixar de gritar.
- Megan! – Jacob aproximou-se de mim. O meu corpo contorcia-se de dores que afinal tinham chegado do nada. – Filha, fala comigo.
Senti os meus olhos a fecharem-se. Quando finalmente acordei, a muito custo, vi muitas pessoas á minha volta. Estava o meu irmão, o Ruben alguns lobos, alguns Cullen e claro os meus pais.
Sentia um cheiro doce a vir na minha direcção. Um cheiro sedutor que me chamava cada vez mais alto. Agarrei-me á cama e fiquei a olhar para o meu avô Carlisle.
- Megan, aconteceu alguma coisa dentro de ti que mudou o teu A.D.N. Eu penso que seja por seres filha de uma semi-vampira mas enfim, o que se passou foi que tu és uma vampira e um lobo. Consegues transformar-te num lobo mas tens de caçar, beber sangue, também podes comer comida. Tens muitas características de um vampiro e de um lobo. – Disse o avô Carlisle.
Ruben olhou para os meus olhos e sorriu. A minha mãe passou-me um espelho. Os meus olhos estavam ligeiramente avermelhados leitosos.
A minha pele parecia mil vezes mais fina e um pouco mais aveludada. Tinha uma cor meio pálida. Apetecia-me caçar, apetecia-me sangue.
Havia um fogo ardente na minha garganta que me fazia ficar com a boca seca. A minha mãe murmurava algo ao meu pai como: “Temos de a ensinar a caçar.” E o meu pai brincava: “Tem cuidado, não quero que ela cace um lobo.”
- Anda o Tio Emmett ensina-te a caçar veados bem apetitosos. – Disse Emmett puxando-me pela mão.
Emmett ensinou-me e cheirar o ar que por ali passava e a correr atrás do veado. Também me ensinou o sítio melhor onde beber o sangue do veado.

____________________
Eu sei que aqui neste capítuo vocês devem ter bastantes dúvidas do porquê e de como a Megan se transformou numa hibrída também.
Se tiverem alguma dúvida podem deixar um comentário que eu terei todo o prazer em responder :)
Gostaram? Então comentem, por favor!
Bjs, Melissa

1 comentário:

Danny disse...

adorei Meel =)
muito bom.
beijos Danny