quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Love Me, Capítulo 1




Capítulo 1 – Diferente
Visão Renesmee Cullen

Sinto-me diferente. Não me sinto uma pessoa normal. Se é isso que sou… A minha mãe diz que eu sou muito especial.
O meu pai diz que sou uma pessoa única. Algo que ninguém é assim tão fácil de adquirir. Os meus tios dizem que sou apenas fixe.
Alice diz que eu sou uma peça única de roupa de alta-costura. Mas isso é mesmo á Alice, ela ama roupas… E Rosalie diz apenas que me ama como eu sou.
O meu avô Charlie, em relação aos meus avós Esme e Carlisle, prefere não comentar estas coisas. Diz apenas que sou o que sou.
O Jacob… Bem, o Jacob é o meu melhor amigo. Aquela pessoa que está sempre do meu lado para me proteger, dar conselhos e ouvir o que tenho para dizer.
Eu sei que o Jacob teve a impressão natural por mim mas acho que o que sinto por ele é só, e apenas, uma grande amizade.
E agora segue-se mais um dia de aulas. Odeio ter de andar na escola, mas, como o meu pai diz, temos de nos integrar.
Levantei-me da cama e olhei á minha volta. As cortinas do meu quarto já estavam abertas, provavelmente pela minha mãe, o sol entreva pelas frechas da janela e batia na minha pele.
Caminhei para a casa de banho que pertencia ao meu quarto e tomei um banho e vesti a roupa que no dia antes a Alice havia me deixado preparada.
Vesti uns calções, umas collants transparentes, umas botas com franjas castanhas. Vesti uma t-shirt verde e, por cima, um casaco de fecho á frente branco.
Penteei os meus cabelos encaracolados e maquilhei-me um pouco. Agarrei na mochila e fui para a cozinha onde estava a minha mãe Bella e Edward.
Há uns dias eu e o meu pai, Edward, tivemos uma zanga enorme. Ele não respeita o meu espaço. Não respeita que eu tenha os meus pensamentos e que ele não os pode ouvir.
Desde essa discussão eu chamo “Edward” ao meu pai e ele chama-se “Renesmee”.
- Bom-dia mãe, Edward. – Tratei-o pelo seu nome.
- Renesmee… - Respondeu-me olhando para o jornal.
A minha mãe suspirou e entregou-me uma taça com cereais e leite. Despachei-me a comer para ir para a escola.
O Jacob, desta vez, não me leva á escola porque está com a alcateia no Canadá. Sem o Jake o meu mundo fica sem cor. Sem sentido.
Não há o Jake com aquelas piadas idiotas acriançadas que fazem-me sempre rir… Não evitei sorrir com este pensamento.
- O que se passa, querida? – Perguntou a minha mãe.
- São cá coisas minhas. – Respondi.
Saí de casa e fui em direcção ao meu carro. Em vinte minutos já estava na escola. Aquela escola idiota com imensos rapazes idiotas e raparigas burras e atiradiças.
Fechei a porta do carro com força e comecei a andar em direcção á sala de aula. Sentei-me na mesa ao pé da janela e tentei prestar atenção á aula.
Algo estava a deixar-me incomodada. O meu sexto sentido de mulher estava a começar a trabalhar, algo se passava…
Eu não sei como explicar mas algo não está nada bem. Na última aula foi Educação Física. Odeio esta disciplina.
Primeiro, porque, tenho de controlar o meu puder vampiro de correr. Segundo, os rapazes só sabem olhar para o meu traseiro.
- Vá, não corra como uma menina! – Gritou-me o professor.
- Eu sou uma menina! – Respondi irritada.
- Como teve a ousadia de me responder?! Já para fora da aula! – Gritou o professor de Educação Física.
E assim fui expulsa de uma aula de Educação Física… Depois das aulas, e como sempre sozinha, fui para casa.
Eu não tenho amigos… Todos me acham uma perfeita freak. O que é que tenho de mal…? Eu nem me sequer sinto bonita.
Entrei no carro e parei em La Push. Nem sei porque parei aqui… talvez sinta falta da praia. Desde pequena que o Jake me trás para aqui e eu ADORO isto.
O cheiro do mar, o cheiro da areia e o som das ondas do mar revolto a bater nas pedras dos penhascos de La Push.
- Olha, John, mais uma Cullen odiosa. – Disse um dos dois novos lobos da alcateia, o Fred.
Odeio estes dois lobos idiotas. Eles são completamente contra os vampiros, eles não cumprem muitas regras do nosso tratado.
Há um novo tratado desde que eu nasci. Agora, lobos e vampiros, podem estar na terra uns dos outros mas os vampiros não podem caçar em terras de lobos.
- Vê como falas, Fred. – Disse friamente. – Só por o Jake não estar em La Push não quer dizer que me possas tratar mal. – Conclui.
- Oh, estamos cheios de medo. Vais-nos bater, é? – Perguntou o John.
Suspirei de dei um paço á frente pronta para lhes morder. O John antecipou-se, avançou dois paços, transformou-se em lobo e deu-me uma patada.
Caí no chão e bati com as costas numa árvore. Que lobo idiota! Levantei-me e fui contra Fred, era o único que estava na forma humana.
Agarrei na mão dele e puxei-a para a morder, eu não tenho veneno, apenas um pouco, mas faz sempre bem um sustinho.
O Fred tirou o braço dele da minha mão e deu-me um morro na boca. O meu lábio, acho eu, ficou um pouco rasgado.
Por mais que lhes tenta-se bater, eu sozinha, não aguentava. Cada vez que tentava ripostar um deles dava-me com o focinho ou dava-me uma patada.
Agora, Fred, na forma humana fez sinal a John para que não fizesse mais nada contra mim. Este parou e deu um paço para trás.
- Coitadinha… - Olhou para o meu lábio inferior rasgado. – Estás ferida…? É o que vocês, vampiros nojentos, merecem! – Exclamou.
Acho que nenhum deles esperou uma reacção minha. Levantei a mão e dei um murro no nariz a Fred. Ele merecia.
Acabei por me magoar na mão. Mas que raio fui fazer a La Push? Fui ser machucada? Pois, é mais isso que parece…
Entrei, furiosa, no carro e olhei-me ao espelho. Aquela “luta” tinha dado frutos, mas não para o meu lado… O meu lábio estava ferido, tinha um pequeno rasgão na pele da bochecha e um bocadinho ao pé do olho.
Já a minha mão estava um pouco ferida e doía-me imenso. Acho que a parti… Tentei conduzir só com uma mão e consegui!
Quando os meus me vissem assim iam matar-me por isso fui inteligente e fui direita para casa dos meus avós.
Estacionei o carro ao pé da porta e abri a porta com as chaves.
- Avô? – Virei-me de costas para fechar bem a porta. – Preciso que me ajudes numa coisa. Os meus pais não podem saber o que me aconteceu mas… - Virei-me de frente e vi a família toda reunida.
A minha mãe, o Edward, os meus tios, os meus avós, as minhas tias, o meu avô Charlie e o Jacob. O que é que eu faço agora?!
O Edward vai-me meter de castigo o resto da vida! A minha mãe correu para mim na velocidade de vampiro e pôs as mãos na minha cara.
- O que é que se passou?! – O Jake levantou-se do sofá, ao mesmo tempo que Edward e os resto das pessoas, e veio ter comigo.
- Nada… - Murmurei.
- Cheiras a lobo! – A minha mãe obrigou-me a tirar o casaco e começou a cheirá-lo.
- O que se passou? – Perguntou Edward.
- Jake! Estás aqui! – Abracei-me a ele. – Tive saudades. – Sorri.
Tentei desviar a conversa mas ninguém me deixou. Apenas Carlisle falou de uma forma calma e racional, o meu salvador.
- Por favor, deixem a minha neta um pouco em paz. Tenho de, primeiro, cuidar dessas feridas e depois ela explica-nos tudo. – Disse o Carlisle.
Entrei dentro do escritório de Carlisle e ele sentou-se em cima da sua mesa de trabalho e foi buscar alguns utensílios.
- Eles bateram-me… - Confessei. – Eu acho que comecei… Eu fiquei muito irritada e tentei bater-lhes mas um deles transformou-se em lobo e deu-me uma patada, eu tentei vingar-me mas… sempre que tentava eles batiam-me. – Disse eu.
- Nessie. – O Carlisle continuava a olhar para as minhas feridas. – São lobos diferentes. Não lhes ligues, tu não mereces isso. Agora, quando explicares isso aos outros eles quererão ir falar com o Fred e com o John. – Disse o Carlisle.
Suspirei e olhei para o tal quadro onde estava o Carlisle com os Volturi. Sinto-me tão infeliz… a minha vida é uma verdadeira porcaria.
Não tenho amigos, os lobos batem-me, toda a gente me acha uma freak! Sou sempre a rapariga mais estranha das turmas, sou sempre a rapariga inteligente demais, para os rapazes a mais gira…
- O que se passa? – Perguntou o meu pai ao entrar na sala.
- Não tenho amigos, os lobos batem-me, na escola todos me acham uma freak! Sou sempre a rapariga estranha, sou a inteligente demais, os rapazes perseguem-me! A minha vida não ser para nada, eu nem sou humana nem vampira, eu não sou nada! – Gritei.
O meu pai olhou para o Carlisle e suspirou.
_____________________
Olá! Eu mudei a imagem de "Renesmee". Estou um bocadinho farta de sempre sempre a Emma Roberts e ela não tem caracóis... Por isso agorá será a Emma Watson
Espero que gostem do capítulo. A partir de agora o horário da fanfic mudou, será postado às segundas-feiras, às quartas-feiras e às sextas-feiras :)
Bjs, Melissa e comentem, nós agradecemos.


PS.: Aqui em cima está o trailer da fanfic :)
Na última parte do trailer a Renesmee e o Jake estão com caras mais sérias devido aos novos problemas...
Comentem
!

2 comentários:

¬¬¬ Jéssiee ^ ^ disse...

Que legal, vc fez um trailer!!
qdo assisti, tive mais vontade de ler!!!
ah, e adorei o capítulo, e a parte que mais gostei foi quando ela chegou na casa dos avós e encontrou a família!

Melissa disse...

Obrigada por comentar!
É sempre bom receber um comentário assim :)
Bjs!