sexta-feira, 12 de novembro de 2010

1º Capítulo - O que deveria ser eterno




1º Capítulo - O Começo De Tudo

     _ Tio Emmet! - gritei assim que cheguei.
     _ Ruivinha! Pensei que vocês nem vinham mais. - ele respondeu, abrindo os braços.
     _ Por que me chamou assim? - finquei meu pé no meio do caminho.
     _ Porque você é ruiva e pequena. Óbvio. - disse, como se aquilo fosse a coisa mais fácil de se adivinhar e me deu um grande sorriso. _ Nervosa, pequena?
     _ AHH, eu não sou pequena! Já tenho a altura da mamãe, se você quer saber! - disse com o máximo de impertinência que uma garota de, aparentemente, 14 anos deveria ter.
     _ Emmet e Ness, será que vocês não conseguem ficar calados por um minuto?! - disse mamãe, nos repreendendo. 
     _ É isso aí Ed! - Tio Emmet sussurrou ao meu pai. _ Arranjou uma mulher para qual as ordens são todas obedecidas. - e piscou. 
     Meu pai rosnou e concentrou sua atenção em Carlisle, que havia começado a falar. Não havia entendido as indiretas com que meu pai ficara tenso, mas pouco me importava também o significado delas. 
     _ [...] e, por fim, Renesmee continuará com o sobrenome Cullen. Todos entenderam?
     _ Vovô, dá pra repetir? - pedi, pois analisando tudo o que ocorrera momentos antes, não tinha prestado atenção sobre sequer do que estavam falando.
     _ Tudo bem, Nessie. Na verdade é bastante simples. Você, Edward, Emmet e Alice, vão ser os irmãos Cullen, enquanto Rosalie, Jasper e Bella vão ser seus primos distantes Hale. Eu e Esme seremos seus pais.
     _ Ah. Ok, entendi.
     _ Bom, então, quem quer conhecer a escola? - disse "papai" Carlisle, em tom animado. _ Edward, leve Bella e Nessie com você no Volvo, eu e Esme vamos na Mercedes, Alice e Jasper no Porshe e Emmet e Rosalie no BMW. Alguém aceitaria apostar uma corrida?
     E assim, todos foram correndo para seus carros. Já que todos odiavam quando perdiam.

---------------------------------------------------------------------------------------------------

     Papai tinha ficado em 2º lugar, perdendo pra tia Alice. Ele continuava praguejando e mamãe o repreendendo quando todos saímos de nossos carros e nos deparamos com vários estudantes, com boca aberta, obviamente se impressionando com os nossos carros, ou nossa beleza, ou simplesmente, as roupas que vestíamos. Mamãe uma vez havia me falado que haveria de ser assim. Os humanos, a maioria pelo menos, não tinha casas luxuosas, nem roupas de marca, nem carros importados e sorrisos altamente brancos. E o que mais os impressionavam é que tínhamos tudo isso. Ela também havia me contado a primeira vez que vira papai no refeitório de um colégio lá em Forks, o quão surpresa havia ficado. Acho que essas mesmas emoções estavam passando por todos que estavam no estacionamento, tanto conversando com os amigos esperando o sinal bater ou porque haviam acabado de chegar. 
     Começamos a andar em direção ao prédio da secretária, com todos abrindo caminho para a nossa passagem, o que foi um tanto estranho. Nós não estávamos tão estranhos assim, estávamos? Todas nós, garotas, estávamos vestindo vestidos até um pouco antes do joelho de uma coleção Primavera 2011 de um estilista que "minha irmã" Alice tinha falado pra mim, mas eu me esquecera por não ter prestado atenção, junto de uma Ankle Boot e bolsas Prada, o que nem é tão grandioso assim, considerando como Alice era em relação à moda. Os garotos do nosso clã também não estavam extravagantes. Uma camiseta, jaqueta e calças jeans. Será que os humanos se impressionavam com tão pouco?
     Entramos todos na secretaria e esperamos para sermos atendidos. Quando essa hora chegou, a secretária deu uma olhada nos avaliando bem obviamente.
     Bufei. Esse iria ser um longo dia. 

Espero que tenham gostado! Comentem , por favor . *-*
Sei que estou atrasada com os capítulos das duas fanfics que escrevo, mas vou tentar compensar tudo nesse final de semana e no feriado. 
Beijos, Duuh  :*

1 comentário:

Jovanna disse...

Amei!! Está muito bom!!