sábado, 25 de setembro de 2010

Nova fanfic - Luz que Aparece

Olá! Então esta fanfic é de uma rapariga MUITO querida, os nossos blogs são pareceiros (podem ver o blog dela AQUI
É sobre a Renesmee e o Jacob e é um clássico :D
PS.: Eu ADORO esta fanfic, e tenho a certeza que vocês também!


Capitulo 1

Renesmee


Mas que aborrecimento. Jacob partira para o Canadá numa missão com a alcateia, e já lá estava há 4 dias. Pelo que ele me dissera por telemóvel viria amanhã durante a manhã ou hora de almoço. Sentia tantas saudades… A minha mãe sabia como Jacob era importante para mim e fazia questão de durante a ausência deste me entreter, organizando passeios em família e jogos. A tia Alice preferia quando a minha mãe não se lembrava de nada para nos entreter pois assim podia sugerir a sua actividade preferida, de ir às compras. E a minha mãe para não a magoar, aceitava… Também não era a minha actividade preferida mas achava engraçado as reacções das humanas nas lojas, experimentando as mesmas roupas que eu, a tia Alice, a tia Rosalie e a minha mãe (e por vezes a avó Esme, quando estava aborrecida também ela vinha). Ficavam algumas de boca a aberta e outras despiam-se imediatamente vendo que não lhes ficava tão bem a elas como a nós. Eu achava-me normal. Mas não seriam apenas os humanos a acharem-me bonita, Jacob não passava um dia sem me dizer o quanto bela era eu. Cada vez que o dizia criava-me embaraço e fazia-me corar as faces do rosto.

Não fazia ideia onde se encontravam os meus pais, teriam saído enquanto dormia deixando apenas um bilhete a dizer “Não ire-mos demorar. Vai para casa do teu avô, lá estarão à tua espera para o pequeno-almoço. Beijos dos teus pais.” Já vestida com o habitual, olhei pela janela da sala. O tempo estava nublado mas sentia calor na temperatura ambiente. Não iria necessitar de casaco para este dia. Saí guardando as chaves da casa no bolso das calças e fechando a porta, sabendo que ela se trancava sozinha. De tanto fazer o mesmo trajecto para a casa grande o caminho já estava marcado. Segui esse mesmo caminho brincando com uma folha que arrancara do pinheiro. A falta que me fazes meu Jacob. Lamentei-me em pensamentos. Eu poderia ter apenas 6 anos de idade mas já aparentava o corpo de uma rapariga de 17 ou 18 anos, mas compreendia o que era a “impressão natural”. A minha mãe explicara-me imensas vezes tal como Jacob, a tia Alice e o avô Carlisle.

Acerca desse assunto sentia-me obrigada a gostar de Jacob como namorado e não como irmão ou melhor amigo. Ele já referira vezes sem conta que eu não era obrigada a nada, que o que ele queria era apenas a minha protecção e poder cuidar de mim. Tal como o meu pai e a minha mãe tinham dito há 3 dias eu podia ter corpo de mulher e uma mente mais avançada para a minha idade mas ainda tinha 6 anos. Ainda não sabia o que era amar… Eu sabia que magoava Jacob mas não poderia fazer nada quanto a isso. Eu recordava-me de Quil e Claire. Quil tinha tido a impressão com Claire quando esta tinha os seus 2 anos. Ele teria que esperar até Claire ter os seus 17 ou 18 anos para descobrir se ela o amava ou o via apenas como um irmão. Claire agora tinha oito anos e vivia perto da casa de Sam e Emily (os seus tios). Mas comigo e com Jacob era diferente ele não tinha que esperar tanto tempo assim. Eu era inteligente compreendia tudo, o que me explicavam.
A porta da casa do avô Carlisle estava encostada, pelo que me apercebi que eles deveriam de estar à minha espera há algum tempo. Cheirou-me a torradas o que despertou a minha fome. Entrei calmamente, tentando não fazer, muito barulho para não estragar o silêncio da casa.

- Nessie! – gritou a tia Alice do sofá à minha frente. Levantou-se graciosamente num movimento de segundo.

- Olá tia. – cumprimentei-a com um grande sorriso. – Onde estão os outros?

- A Rosalie e o Emmett foram dar uma volta de carro, acho que iram aproveitar e caçar. O Carlisle está no escritório a trabalhar num caso do hospital. E a Esme…
- Estou aqui. – interrompeu a minha avó vinda da cozinha com um sorriso que provocava covinhas nas maçãs do seu rosto. – O teu pequeno-almoço está servido na mesa da cozinha. Fiz torradas e coloquei leite dentro de um copo, para beberes.

- Obrigada. – comecei a andar até à cozinha para tomar o pequeno-almoço quando me ocorreu que faltava uma pessoa na casa. – Onde está o tio Jasper? – perguntei à tia Alice.

- Ele foi à cidade comprar CDs e livros. – disse ela ainda com o sorriso no rosto. – Vai lá tomar o pequeno-almoço antes que os teus pais cheguem.

Encaminhei-me novamente para a cozinha mas desta vez sem interrupções no caminho. Sentei me à mesa e comi as torradas. O leite que estava dentro do copo era quente, o que me provocava vómitos. Mas não iria ferir os sentimentos da avó ao não beber um simples copo de leite. Por isso fazendo fita coloquei uma mão no nariz, tapando-o e bebi tudo até à ultima gota. Coloquei a loiça na máquina e cliquei no botão de iniciar a lavagem. Os únicos que comiam nesta casa era eu, Jacob e por vezes Seth quando vinha visitar os seus amigos vampiros.
Na sala Alice e a minha avó Esme estavam divertidas a falar sobre como seria engraçado haver um reality show chamado “Vampiros na moda”. As duas riam-se às gargalhadas, e por isso não quis interromper. Subi as escadas até ao escritório do avô, tudo estava muito silencioso ouvia-se apenas naquele piso o barulho de papeis a mexerem-se e a respiração do meu avô. Entrei pela porta a dentro com um grande sorriso.

- Olá Nessie. – disse ele com um sorriso a olhar para os papeis. – Peço desculpa por não ter descido para te cumprimentar mas estou muito atarefado. Este caso está a dar comigo em doido. – disse ele pedindo as minhas desculpas.

- Não tem mal. Eu compreendo. – sentei-me a seu lado numa cadeira já um pouco velha escutando a pessoa que entrara em casa neste preciso momento.
Alice beijava a pessoa, por isso só poderia ser Jasper. “A Nessie está lá em cima.” comentou ela. “Vou lá acima, tenho algo para lhe entregar.” E ouvi Jasper subir na rapidez dos instintos de vampiro, provocando apenas o som do ar em seu redor.

- Olá Nessie. – disse ele com um grande sorriso, penteando com a mão os seus cabelos despenteados da pequena corrida. – Encontrei uns CDs e uns livros para ti. Eram os romances mais sobrenaturais que existem agora nas livrarias. Encontrei também um exemplar de Romeu e Julieta, e alguns poemas.

- Não era preciso tanta preocupação. Mas obrigada. Sabes como adoro ler. – o meu tio sorriu-me uma vez mais e entregou-me o saco amarelo com o logótipo da loja para a mão. – Já que não tenho nada para fazer vou começar a ler. – disse ansiosa. – Adeus tio. Adeus avô.

- Adeus. – disseram os dois em uníssono. Fazendo-me sorrir.

Corri até ao quarto do meu pai e da minha mãe. Sentei-me no sofá e tirei do saco o primeiro livro que me veio à mão tinha o nome de “Extremo”. Virei o livro para ler do que se tratava. Tal como Jasper tinha referido era um romance sobrenatural. A rapariga de nome Lily apaixonara-se por um zombie. Comecei a ler a primeira página até que ouvi um novo bater do coração vindo com uma voz conhecida.

- A Nessie está aqui?

- Jacob! – gritei. Corri as escadas voando até ao piso inferior. Ao lá chegar acalmei a minha corrida passando esta a ser uma corrida humana. Fui até aos braços de Jacob, e este agarrou-me e rodopiando-me por duas vezes. – Vieste cedo.
- Consegui vir mais cedo. O Sam já não aguentava as minhas lamúrias. – disse Jacob rindo-se. – A tua mãe disse que sentiste a minha falta. Por isso, como já cá estou, o que queres fazer?

- Podemos ir até La Push? Por favor… - disse tentando com os olhos encantá-lo. Este revirou os olhos e sorriu-me. Compreendi que era um sim. – Posso ir tia? Posso avó? – pedi autorização.

- Claro. – disse Esme.

- Vai lá e diverte-te. Não fiques até tarde. – disse Alice despedindo-se.

- Adeus tio. Adeus avô. – disse eu alto para eles me ouvirem. E os dois responderam-me.

Jacob colocou o seu braço por cima dos meus ombros enquanto me guiava até ao seu rabbit. Finalmente ele chegara. Depois de esperar 4 dias para que ele voltasse, cá estava ele inteiro e de boa saúde. Jacob voltara mais cedo com saudades minhas. Nem queria pensar no que Sam ouvira nos seus pensamentos…

- Então, o que andaste a fazer estes dias miúda? – perguntou ele abrindo-me a porta do seu carro, para eu entrar.

- Compras, jogos, caçadas, caminhadas… Tudo o que apareceu na mente da minha mãe para me distrair. – disse eu suspirando.

- Coitadinha da minha Nessie… - disse ele fazendo um beicinho amoroso. – Mas agora chegou o lobisomem! A festa vai começar… - disse ele na brincadeira.

3 comentários:

Duuh disse...

Adorei esta nova fanfic. *-*

Blog Histórias Vampiros.... disse...

Brigada, verás as surpresas que ela tem...

Beijos Blog HV

JenniCool disse...

Adorei Melissa, vc sabe mesmo onde encontrar histórias Legais!! E Blog HV VCS tem mesmo Boas histórias...